Boas Vibrações

Published on by Wandique

 

"Se você quer descobrir os segredos do universo, pense em termos de vibrações"      

Nikola Tesla

 

Normalmente não recomendo produtos, especialmente de áudio, pois sabemos que um sistema é a soma e interação (que eles chamam de sinergia) entre seus componentes, seja lá quais forem. Um componente pode ser muito bom para o meu sistema mas pode ser muito ruim para outro sistema. O meu conselho sempre é: experimente. O problema é que a maioria dos componentes de um sistema de áudio costuma ser caro e é extremamente frustrante comprar algo que, ou não corresponde às expectativas ou, no pior caso, tem um resultado desastroso. Talvez cabos de conexão sejam os componentes mais, digamos assim, frustrantes. Mas estou aqui para falar um pouco da minha experiência de anos com os Vibrapods.

A discussão sobre o uso (ou não uso) de um elemento que trate vibrações no sistema segue mais ou menos o caminho dos cabos de conexão, depende do sistema. Sobre as vibrações em si isso é algo que não se discute pois elas existem, seja vindas de fora, seja originadas pelo próprio equipamento. A princípio imagina-se que somente componentes que possuem elementos mecânicos (toca-discos e cd players) sofreriam com vibrações (vindas de dentro, através do motor) mas aprendi que mesmo componentes transistorizados (como um amplificador, devido à fonte) vibram e essa vibração, aliada ao local em que o componente descansa, afeta a qualidade do som. Via de regra as pessoas não se preocupam em tratar esse problema mas às vezes vale o esforço, com pouco investimento é possível extrair muito mais que o sistema está hoje entregando. Normalmente os componentes vêm munidos de "pézinhos" de borracha ou plástico. Estes reduzem a área de contato do equipamento com a prateleira ou rack em que o dispositivo se assenta certamente melhorando os efeitos vibratórios. Partindo-se deste princípio, se reduzirmos mais ainda a área de contato a resultado pode ser melhor. E isso acontece. Para tanto podemos colocar cones sob o componente. Agora começa as discussões e os experimentos: para onde apontar o cone? Com a ponta encostando no aparelho ou na prateleira? A experiência mostra que a vibração é conduzida em direção à ponta do cone. Então depende da origem da vibração. Agora nos deparamos com outra escolha: qual material é o mais adequado? Temos disponíveis no mercado cones de metal, de borracha, de sorbothane (é um material visco-elástico), de pedra, e de diversos tipos de madeira. Cada um deles pode dar um resultado diferente.

Como eu disse anteriormente, é preciso experimentar. O formato desses dispositivos que tentam desacoplar o componente da sua base de apoio podem ter outros formatos como semi-esferas e até paralelepípedos, a intenção é isolar o equipamento e conseguir com isso reduzir as vibrações. Dos materiais utilizados, e que experimentei, o que melhor resolveu todos essas questões foi o vinyl. Não a borracha ou o soborthane mas o vinyl. Ele tem uma propriedade de dissipar em calor a energia gerada pelas vibrações. Não me perguntem como isso acontece pois não sou físico. Essa informação não está presente no site do produto em questão que é o Vibrapod. NÃO estou vendendo o produto nem tenho interesse comercial algum nesse produto, estou aqui relatando uma boa experiência que tive, depois de testar vários outros produtos, e este me pareceu uma excelente relação custo-benefício. O Vibrapod se apresenta como dois produtos, um cone e um "pézinho". Os pézinhos possuem 5 (cinco) gradações de dureza/elasticidade e devem ser utilizados obedecendo essa gradação dependendo do peso do componente (veja a tabela, os pesos em Kg).

 

Modelo          Peso recomendado         Pesos mínimos e máximos

1                     0,90                       0,90 a 1,36

2                     2,72                       1,81 a 3,62

3                     4,53                       3,62 a 5,44

4                     7,26                       6,35 a 8,16

5                    11,34                       9,97 a 12,70

 

O peso é por Vibrapod e o peso total suportado é a soma de Vibrapods utilizados. Assim, se o componente pesa 15Kg, pode-se utilizar 5 tipo 2 ou 3 tipo 3. Os pezinhos não devem se tocar e se o equipamento pesa mais de um lado que outro, recomenda-se utilizar de tipos diferentes para cada lado uma vez que foram desenhados para pesos específicos. Se for utilizar sob os pés originais do componente estes não devem encaixar dentro do Vibrapod.

Os cones suportam até 11,3 Kg cada e possuem na ponta, uma esfera de aço de 7/16" de diâmetro. Essa esfera pode ser substituída por outra de outro material (o site do fabricante www.vibrapod.com indica onde comprar). O fabricante incentiva o experimento de diversos materiais para as esferas.

O frabricante ensina que pode-se usar os Vibrapods sob plataforma de 1/2 polegada de espessura em MDF ou acrílico (e o componente em cima). Eu os utilizo tanto sobre acrílico como vidro e não percebi diferença alguma. Talvez num equipamento mais sofisticado que o meu.

Não os coloque diretamente sobre as prateleiras do rack pois eles deixam marca, eu os coloco sobre aqueles cartões de papelão que são utilizados como suporte de copos.

Pode-se utilizar os cones e os pézinhos em saparado ou juntos, colocando-se o cone sobre o pézinho, me foi a melhor solução. Mas testem, testem, testem ...

E o resultado? Mais uma vez, NO MEU EQUIPAMENTO a primeira coisa que pude perceber foram os graves. Muitos graves que estavam lá e eu não ouvia. Graves profundos, precisos e naturais. Depois os detalhes aumentaram, tanto nos médios quanto nos agudos, que ficaram um pouco menos estridentes. O espaço entre os instrumentos ficou bem definido e, consequentemente, o "palco" aumentou nas três dimensões. De maneira geral foi como retirar um véu que cobria meu som (essa do "véu" é velha). Alguns discos, aqueles com uma boa masterização, mostraram detalhes que eu nunca tinha ouvido.  

Utilizo os Vibrapods sob o power, o pré-amplificador, o toca-discos, o dvd player e sob as caixas. Meu próximo experimento será colocá-los sob o sofá. Experimentem (aqui, em Pindorama, é encontrado no Mercado Livre) e boas audições.

 

Boas Vibrações

Published on info

Comment on this post