Songs from Liquid Days - Philip Glass

Published on by Wandique

Conheci a música do Philip Glass através de excertos da ópera "Einstein on the beach", onde o libretto são números somente. O compositor sempre recusou o rótulo de "minimalista" mas eu diria "recursivalista" (argh!) pois a música dele me parece "recursiva" na medida em que se retroalimenta para se desenvolver, é uma "autofagia" como diriam os nossos autores da Semana de 22. Este disco foi a primeira tentativa do compositor em aproximar sua música da vanguarda rock/pop (depois ele fez dois trabalhos com o David Bowie). As associações (eu não diria "parcerias") foram com Paul Simon, Suzanne Vega, David Byrne e Laurie Anderson. A música foi composta e "colocada" sob as poesias sem que os poetas soubessem da música. O resultado é bizarro uma vez que a música do PG é bizarra de per se. Com a participação do Kronos Quartet e do PG Ensemble a música trafega pelo formalismo Glassiano (para que já conhece Philip Glass) até uma tentativa de pop minimalista (?). Dada a motivação do disco a coisa fica no meio caminho, nem Philip Glass nem outra coisa. Não sei precisar essa ansiedade que alguns compositores eruditos (os compositores eruditos não consideram Philip Glass um compositor erudito) têm em agregar elementos de música erudita com expressões musicais mais populares mesmo porque algumas dessas "expressões" não podem ser consideradas como música. Isso me parece retórica da esquerda populista: acabar com o "elitismo" e entregar a música para o "povo". Normalmente o resultado não é muito satisfatório (vide o que o "povo" escuta por aí). Não estou falando em fazer arranjos de orquestra para rock (como a ópera-rock "Tommy" do The Who), mas de uma tentativa real de misturar gêneros, algo que pode acabar como um sertanejo sinfônico (que o bom senso nos livre) como um certo "músico" holandês comete com muito sucesso entre o "povo". Mas voltando ao nosso disco, com alguma boa vontade pode-se voltar a ouví-lo, por simples curiosidade ou teimosia. O compositor não precisava deste disco mas tudo é experiência, ele pode.

Lançado em 1986

Lado A

1) Changing opinion

2) Lightning

3) Freezing

Lado B

1) Liquid Days (Part I)

2) Open the Kingdom (Liquid Days Part II)

3) Forgetting

Songs from Liquid Days - Philip Glass

Published on Philip Glass

Comment on this post