Oh by the way, which one's Pink?

Published on by Wandique

See ...

Participo de um forum aqui em Pindorama e está acontecendo um frisson em relação às novas prensagens dos discos do Pink Floyd. Gosto deles desde que ouvi o "Atom Heart Mother" em seu lançamento e os tenho ouvido com muita frequencia nesse últimos 45 anos. Comprei todos os seus discos em vários formatos inclusive as edições comemorativas de 20, 25, 30 anos ... Não, não sou obcecado por eles, mas gosto muito da música deles. Tenho boas lembranças ao ouvir os discos, lembro dos meus amigos e como ouvíamos compulsiva e repetidamente os discos assim que os comprávamos, lembro perfeitamente de estar ouvindo o "Atom" na casa do Joãozinho, de estar no jardim de casa ouvindo o DSOTM junto com minha mãe que estava podando as roseiras, lembro de ouvir o "The Wall" em fita k7 no carro de meu pai em frente ao Cinema 1 (ele comprou o "The Wall" antes que eu o fizesse), lembro de discutir com meus amigos (na lanchonete da escola de inglês) qual a música que mais gostávamos do "Obscured by Clouds" (ah Vivian, você nos deixou tão cedo!), lembro de passar toda uma madrugada ouvindo no escuro o "Meddle" ... Em outro forum que participo (no hemisfério norte) li que na America ouvir todos os discos do PF é um rito de passagem da adolescência para a idade adulta. As novas gerações continuam ouvindo e descobrindo PF, isso é revigorante, até dá uma esperança que no fim tudo vai dar certo. O que me faz pensar é que se tornou "natural" ouvir/gostar de Pink Floyd. Gosto de pensar que, de certa maneira, a música deles, como a música dos Beatles, faz parte do DNA de muitas gerações e das que estão por vir. A natureza intrinseca da música nos traz algo que só pode ser expresso como música.  A linguagem falada/escrita é uma tentativa de uma expressão mais exata de coisas que não são do coração. A música se encarrega disso, expressar o inexprimível. Talvez a música do PF traga no seu cerne esse denominador comum que a torna universal, num sentido Eisteniano, através do tempo e do espaço. Cada vez me convenço que a música pode ser uma solução de muitas coisas estranhas e esquisitas (e ultimamente terríveis) que acontecem por aí. Que seja a música  do Pink Floyd.

Published on info

Comment on this post