Frantic - Bryan Ferry

Published on by Wandique

Bryan Ferry é um cantor/compositor sem inspiração ou é o mestre do cover (esqueça o que Rod Stewart está fazendo atualmente, ele está no fundo do poço, infelizmente)? Gravar duas músicas do Dylan no mesmo disco (sendo que uma abre o lado A) é, no mínimo, uma ousadia. Mas o que me atrai mais na música desse inglês de raízes escocesas é a sua classe em tudo que faz como artista, como canta, como faz os arranjos, como compõe, como se veste, como se move no palco (assisti um show dele aqui em Pindorama e perdi por dois dias um show em Edinburgh). Sabemos que todo artista no palco assume uma persona (ou muitas como o Bowie) e a persona do Bryan Ferry nos assalta da maneira que ele segura o microfone e nos olha dentro de nossas almas, não vasculhando mas entregando-se com paixão. Este disco (que de frenético não tem nada exceto o título) não é o melhor disco dele, nem o pior pois me parece que o trabalho dele é contínuo, não existem "fases" ou "projetos", só música. Mesmo quando ele comete homenagens como o album "Dylanesque" só com músicas do bardo americano. Por ser fan hardcore não tenho o cinismo de um crítico mas me deixo, todas as vezes que ouço o crooner, me levar pelo romantismo de botequim do artista que sussurra no meu ouvido "All night looking for new love, impossible true love, or nothing at all". Quem vai atirar a primeira pedra ?

Lançado em Fevereiro de 2002

Lado A

1) It's all over now baby blue

2) Cruel

3) Goin' down

4) Goddess of Love

5) Don't think twicw, it's allright

6) Nobody loves me

Lado B

1) Ja Nun Hons Pris

2) A fool for love

3) Goodnight Irene

4) Hiroshima

5) San Simeon

6) One way love

7) I thought

Frantic - Bryan Ferry

Published on Bryan Ferry

Comment on this post