The Equatorial Stars

Published on by Wandique

Demorou 30 anos para eles se reunirem novamente num estúdio para cometer esta maravilha (pelo menos para mim) que é o "Equatorial Stars". Não foi o Eno que inventou a "ambient music" mas certamente foi quem mais a desenvolveu em termos teóricos e práticos. Primeiramente houve o disco "No pussyfooting" onde o Eno apresentou para o Fripp o conceito de "loops" onde uma frase era gravada em fita e repetida imediatamente sendo gravada com a nova frase sobre a anterior e assim por diante. Sabemos que o Fripp desenvolveu a técnica que mais tarde veio a se chamar "Frippertronics" e depois, mais apuradamente, "Soundscapes". O "Equatorial Stars" tende mais para um duo de teclados em loop servindo de base para a guitarra. Quando este disco saiu eu não pude comemorar com alguém pois muito pouca gente que conhecia gostava desse tipo de música. Felizmente uma nova geração está tomando gosto do trabalho deles, especialmente do Fripp, espero que tenham gostado deste album. O Eno é um arquiteto de "sons", alguém que acima de tudo é um esteta com muita classe e elegância. As peças são extremamente delicadas e sofisticadas, este é mais um disco noturno. O título nos induz a pensar nisso, uma noite estrelada e a viagem até lá. A espera foi recompensadora.

Lançado em Abril de 2005

Lado A

1) Meissa

2) Lyra

3) Tarazed

4) Lupus

Lado B

1) Ankaa

2) Altair

3) Terebellum

P.S.: para os curiosos, o que o Fripp anda fazendo atualmente ...

e o Eno (as imagens são produzidas via um app para i-phone sobre o selo do LP) ...

The Equatorial Stars

Published on Fripp & Eno

Comment on this post