Guitar - Frank Zappa

Published on by Wandique

"I have a theory about beer: Consumption of it leads to pseudo-military behavior. Think about it - winos don't march."

A música de Frank Zappa sempre foi "árdua" sob muitos aspectos e definitivamente não é para todos. Não é simplesmente questão de gosto, mas de preparo. Não existe nada pronto, não é "fast food", é "slow music". As músicas com letra são sempre uma crítica política/social/comportamental que nem sempre é fácil de absorver, seja pela sua crueza seja pela irreverência. Para ele não existem tabus de espécie alguma mas sempre um olhar e língua afiados, denunciando alguma coisa. Num album só com solos de guitarra poderíamos imaginar ("let's use our imagination", nas palavras dele) que o clima poderia ser mais leve mas, de certa maneira, não é. Os solos denotam uma urgência que ultrapassa as possibilidades do instrumento nos trazendo a universalidade que só a música possui. Os títulos podem ser uma pista da intenção do músico mas como todos os solos são improvisações sabemos que não devem ser levados em consideração, dado o humor do Zappa ("Sexual Harassment in Workplace", "In-A-Gadda-Stravinski"). Apesar de não ser lembrado como guitarrista, esse album (e o "Shut up'n'play yer guitar") mostram porque ele foi colocado na 22a posição dos "100 melhores guitarristas" pelo jornal "Rolling Stone".

Lançado em Abril de 1988

Lado A

1) Sexual Harassment in Workplace

2) Republicans

3) Do not pass go

4) That's not really raggae

5) When no one was no one

Lado B

1) Once again without the net

2) Outside now

3) Jim & Tammy's upper room

4) Were we ever really safe in San Antonio ?

5) That ol' G minor thing again

Lado C

1) Move it or park it

2) Sunrise reedemer

3) But who was Fulcanelli ?

4) For Duane

5) GOA

Lado D

1) Winos do not march

2) Systems of edges

3) Things that look like meat

4) Watermelon in easter hay

Guitar - Frank Zappa

Published on Frank Zappa

Comment on this post