Tubular Bells - Mike Oldfield

Published on by Wandique

Como quase sempre, ouvi esse disco pela primeira vez na casa de um amigo. Anos depois aprendi que esse foi o primeiro disco gravado pela Virgin Records do empresário britânico Richard Branson. Naqueles dias era natural uma música de 20 minutos ou mais. Mesmo no rádio havia programas (noturnos) que tocavam muito rock progressivo (quem hoje quem tem a pachorra de ouvir o "Tales from topographic Oceans" do Yes de ponta a ponta numa única audição?) . Conceber uma peça em onde os instrumentos eram adicionados progressivamente me pareceu genial, muito embora eu desconfiasse que isso não era novidade (e não era mesmo). Hoje muito se critica (e se justifica) o isolamento entre as pessoas, agravado pelas "facilidades" da internet mas o que dizer de um disco em que há somente um executante ? Se quiser fazer bem, faça você mesmo. Outra coisa que hoje me parece estranho é a falta de concentração, creio que também devido à variedade de informações disponíveis pois com tanto para saber, ver e ouvir, aquilo que é realmente relevante ? Muito difícil saber se não experimentar e a tolerância (em termos de tempo gasto para ouvir música) é de alguns minutos apenas. Mas naqueles dias tínhamos muito mais tempo que temos agora (Einstein explica) e talvez fôssemos mais curiosos. O fato é que investíamos o nosso tempo em aprender o que estava se tentando dizer através dos discos, das músicas que ouvíamos. Faz muito tempo que que não ouço esse disco, mas lembro que quando conheci este album o ouvi exaustivamente até introjetá-lo totalmente. Agora fica aqui o desafio à geração z (de zumbi): be there or be square !

Lançado em Maio de 1973

Lado A

1) Tubular Bells parte 1

Lado B

1) Tubular Bells parte 2

Tubular Bells - Mike Oldfield

Published on Mike Oldfield, UNICO

Comment on this post