RED - King Crimson

Published on by Wandique

"Listen to them ! Children of The Night ! What music they make !"

O King Crimson (acho) não precisa de apresentações. O RED é, para mim, o ápice da época de ouro (na minha opinião) do KC (compondo a trilogia "Larks Tongues in Aspic" e "Starless and Bible Black"). Sempre me pareceu que esse é um disco noturno. Não lembro se alguma vez o ouvi sob a Luz do Sol. É para se ouvir sozinho, de madrugada com um copo de vinho. Várias vezes, vários copos. A capa é preta com fotos em branco e preto, o que sempre me lembrou a capa do "With The Beatles" (homenagem?). É engraçado mas esse disco aparece com frequência em lista de grupos heavy metal, mas mesmo sendo heavy (e não necessariamente metal) mais uma vez a guitarra do Fripp arrebenta (c)orações e (de)mentes. É inegável a precisão matemática do disco: RED é um eco polirrítmico feroz de "Larks Tongues in Aspic, part II". Onde presente, a voz do Wetton é insubstituível (o maior erro do Fripp foi "contratar", alguns anos mais tarde, como cantor o sr. AB) especialmente na gloriosa "Starless". Note-se que no disco o solo que pertencia ao violino foi substituído pela guitarra (o que eu prefiro). Trazidos de eras priscas temos ainda a presença de Mel Collins e Ian McDonald (ambos no sax) mais Robin Miller (oboé) e Mark Charig (trompete).

Após o lançamento do Red mais uma vez o KC "cessava de existir" (em sua terceira formação) para se erguer das suas próprias cinzas em 1981 com Discipline !

Lançado em Outubro de 1974

Lado 1

1) Red

2) Fallen Angel

3) One more red nightmare

Lado 2

1) Providence

2) Starless

P.S.: não ouça esse disco sem a presença de um adulto.

 

RED - King Crimson

Published on King Crimson

Comment on this post

Rafael 06/09/2014 13:28

Não sou profundo conhecedor da obra de Mr. Fripp, mas para mim Red finalizou tudo que foi iniciado em In the Court of the Crimson King. Essa foi uma época que eu não vivi. A sonoridade dos 7 primeiros LP´s é única e tem a cara dos anos 70. Os álbuns pós RED são muito difíceis de escutar, não sei se pela sonoridade moderna ou vocalistas diferentes. Se um dia chegar a comprar mais discos do KC, vou chegar apenas até o RED.

wandique 06/10/2014 03:06

Acho que o Red é (como comentei no post) é o último daquela trilogia. Se vc ouvir os 3 primeiros ("In the wake of Posseidon", "Lizard" e "Islands") com cuidado vai perceber que são uma progressão para os seguintes mas são discos de transição que culminaram na trilogia que terminou com o Red. O ITCOCK é um caso a parte.