Exposure - Robert Fripp

Published on by Wandique

"It's impossible to achieve the aim without suffering"

Muito se falou, muito se tem falado e muito se falará mas não é nada disso. Críticas são opiniões somente, muito pessoais e determinadas pelo zeitgeist. Como todas as coisas melhor do que ouvir falar é, de alguma forma, viver a expressão musical, pelo músico e com o músico. No caso esse LP. Mas antes permitam-me falar um pouco sobre essa obsessão em rotular, enquadrar, encaixotar, classificar e determinar um comportamento ou expressão musical.  Achei esta afirmação do Wire  na capa de uma edição especial do Exposure em (argh) cd: "It's the Sgt. Pepper of avant Punk". Avant Punk? Fui na Wikipedia a achei : Art Punk (vejam vocês mesmos). Isso me parece feijoada de milho. Mas deixando bobagens de lado vamos ao disco.

Durante as peripécias do King Crimson, RF lançou em 1973 o album "No pussyfooting" e em 1975 o "Evening Star", ambos em parceria com o Brian Eno. Após a (primeira) dissolução do KC depois do RED em 1974 RF foi chamado pelo David Bowie e pelo Eno a gravar o "Scary Monsters" em Berlin. Creio que essa experiência (com a contínua influência do Eno) incitou o Fripp a trilhar outros aspectos de música ou melhor dizendo, da expressão artística. Desta forma já em NYC o Fripp começou a trabalhar com o que mais tarde se chamou "new wave" (olha o rótulo novamente) e imaginou uma trilogia composta pelo segundo disco do Peter Gabriel (onde também foi gravada a música "Exposure") e pelo "Sacred Songs" do Daryl Hall (que é um disco raríssimo), produzidos por ele. O album "Exposure" completa essa trilogia. O disco levou um ano para ser gravado e sofreu diversos reveses durante esse período. Tem de tudo um pouco, Como diria o poeta Augusto de Campos, é um "panaroma" musical.  Ainda não consegui determinar se o disco é fragmentado ou extremamente coerente. Daryl Hall fez os vocais de duas músicas (o Fripp fala, não canta) e o restante sobrou para o Peter Hammill (cantor do Van der Graaff Generator) e Terre Roche. O "Exposure" com o Daryl Hall foi lançado posteriormente numa edição especial em cd. Digno de nota é a participação especialíssima de Peter Gabriel com "Here Comes the Flood" numa versão mais intimista que a original. O disco tem um prefácio e um post scriptum. É um livro ou uma carta? O que está sendo exposto ? Another side of Robert Fripp ? O lado de dentro ou o lado de fora ? Ouçam o disco, o Fripp não é para amadores, esteja avisado. The rest is silence.

Lançado em Junho de 1979

Lado 1

1) Preface

2) You burn me up I'm a cigarette

3) Breathless

4) Disengage

5) North Star

6) Chicago

7) NY3

8) Mary

Lado 2

1) Exposure

2) Hääden two

3) Urban Landscape

4) You may not had enough of me but I've enough of you

5) First inaugural address to I.A.C.E. Sherborne House

6) Water Music I

7) Here comes the flood

8) Water Music II

9) Postscript

 

P.S. (em 14/06/2014) : para o saber qual é o "alvo", veja Elephant Talk : The Esposure Pages

 

Exposure - Robert Fripp

Published on Robert Fripp, King Crimson

Comment on this post

Rafael 06/20/2014 05:47

Não conheço o trabalho solo do Fripp, mas depois de ouvir de leve algumas faixas desses disco no YouTube, fiquei com vontade de conhecer e escutar tudo.

Wandique 06/20/2014 05:56

Good boy ...